RAZÕES PARA CASTRAR COELHOS

julho 11, 2013 | posted in: Anestesia/Cirurgia, Coelhos | by

* Evitar reprodução – Esta é a razão mais comum pelo qual os coelhos são castrados, particularmente se houver ambos os sexos. Não se deve considerar reprodução destes animais apenas para “diversão” ou “educação”. Seja um proprietário responsável, evite reproduzir coelhos a menos que você esteja bem informado sobre o tema e preparado para assumir todas as responsabilidades. Há certamente muitos coelhos no mundo e muitos são negligenciados ou abandonados.

* Prevenção de tumores uterinos – Esta é o principal motivo médico para castrar as fêmeas de coelhos. Em alguns coelhos, a taxa de adenocarcinoma uterino (Câncer maligno do útero) pode acometer 80% das fêmeas. Acredita-se que a incidência pode estar relacionada com a composição genética do coelho. Uma vez que, normalmente não sabemos a genética de coelhos, o melhor é realizar a cirurgia preventiva. O adenocarcinoma uterino pode propagar rapidamente para outros órgãos, como o fígado, pulmões e até a pele e não há tratamento eficaz. Vemos muitos casos desta doença todos os anos e, infelizmente, a maioria é fatal. Coelhos jovens, com cerda de dois anos de idade raramente desenvolvem a doença, por isso, é melhor realizar até esta idade.

* Prevenção de infecções uterinas – Embora câncer seja a doença mais comum em fêmeas de coelho, outras doenças como a piometra uterina (útero infectado e cheio de pus), hemometra (útero cheio de sangue) e endometrite (Inflamação uterina). Tal como câncer uterino, estas condições são mais comuns em fêmea de coelhos com mais de dois anos de idade.

* Prevenção de “Falsa Prenhês” – Problemas hormonais desencadeados pelos ovários fazem com que fêmeas de coelho se comportem como se estivessem prenhas, mas não existem fetos presentes. Prejudicial por ser muito estressante para a coelha, incluindo construção de ninho, produção de leite e aumento da agressividade. Esta falsa gravidez pode desenvolver uma diminuição do apetite e causar distúrbios gastrointestinais e em geral evoluem para uma infecção uterina ou tumores de mama pelo acumulo de leite ou problemas hormonais.

* Prevenção de tumores de glândula mamária – A ocorrência de tumores em glândula mamaria de coelhas não é comum, mas quando ocorre, pode se espalhar rapidamente e o tratamento é ineficaz. É interessante notar que o tipo mais comum de câncer mamário é maligno, chamado carcinoma mamário e é quase sempre associado a câncer uterino. A outra é uma doença comum é a displasia cística das glândulas mamárias. Esta é uma condição benigna, onde se formam cistos nas glândulas mamárias, porem pode ser desconfortável para o animal.

* Prevenção de infecções de testículo – Doença incomum nos coelhos, mas pode ocorrer. Comumente vemos abscessos (geralmente o resultado de feridas), hematomas e até mesmo tumores.

A MELHOR IDADE

A melhor idade para castrar um coelho é um pouco antes ou logo após a maturidade sexual. Dependendo da raça, a maturidade pode variar de quatro a seis meses nas raças pequenas e médias e até nove meses nas raças grandes. Não recomendamos castrar coelhos com idade inferior a quatro meses de idade, porque a cirurgia é dificultada devido ao tamanho e posição dos órgãos reprodutivos, alem do fato de poder acarretar problemas de uretra em machos.

Seu coelho deve examinado por um médico veterinário antes da cirurgia para certificar-se de que o animal se encontra em bom estado. A maturidade sexual pode ser avaliada de várias formas, incluindo; visualizar a presença dos testículos no saco escrotal, a presença de vulva desenvolvida, escore corporal e por mudanças comportamentais (Demarcar território e agressividade).

Recomendamos alguns testes simples antes da cirurgia, como hemograma e bioquimica sérica entre outros, especialmente se o seu animal já possui uma idade avançada ou teve outros problemas médicos.

Os exames complementares são indispensáveis para animais muito obesos ou com outra doença, porque estes coelhos estão em maior risco de complicações durante a anestesia. O peso deve ser reduzido e qualquer doença deve ser tratada antes, principalmente em fêmeas.

PROCEDIMENTO

Quando um coelho é macho castrado, os testículos são completamente removidos. Podendo ser feito através de uma única incisão ou através de duas nas quais ambos são removidos, uma em cada saco escrotal.
O saco escrotal vai inchar dentro de 24 a 48 horas após a cirurgia, levando de sete a dez dias para diminuir completamente e acabará por encolher a um tamanho muito pequeno ao longo do tempo.

** É importante saber que machos não devem ficar em contacto com fêmeas intactas durante pelo menos três semanas após a castração, pois podem conter esperma viável nos dutos do cordão espermático chamado “ducto deferente”, que não pode ser removido, durante a cirurgia. Após três semanas, o esperma está completamente morto.

Os níveis de testosterona caem lentamente após a castração dos machos, por isso continuam com libido por várias semanas.

No entanto, sempre que você colocar dois coelhos juntos, independentemente das circunstâncias você deve observar cuidadosamente quaisquer sinais de agressão. Coelhos agressivos podem machucar e causar lesões graves e por vezes fatais.

Quando uma coelha é castrada, os ovários, ovidutos, o útero e cérvix são removidos. Coelhas apresentam um útero composto por dois longos tubos com um ovário em uma extremidade e cérvix em cada um. Possuem duas cérvix, diferentemente de gatos, cães, seres humanos e muitas outras espécies.

Uma incisão é feita na área do umbigo, sendo o útero e estruturas associados levemente tracionados para fora do abdômen através desta incisão. Os vasos sanguíneos que abastecem o útero e ovários são ligados e os órgãos reprodutores são removidos sem sangramento.

Desde coelhos têm incisivos que funcionam como tesouras que podem cortar a linha de sutura, sendo comum realizar uma segunda linha de sutura sob a pele inacessível aos dentes.

Coelhos podem ser alérgicos a vários tipos de fio cirúrgico, sendo utilizado um fio especial e absorvível, que se dissolve após algumas semanas e não há necessidade de remover os “pontos”.

Alguns veterinários utilizam grampos de pele, feitos de aço, que também funcionam muito bem em coelhos, especialmente em raças maiores.

CUIDADOS PÓS-CIRÚRGICOS

É importante, após a cirurgia, verificar o local da cirurgia pelo menos duas vezes por dia, procurando sinais de infecção ou abertura da ferida. Muitos coelhos diminuem a vontade de comer um dia após a cirurgia, mas esta deverá regressar ao normal gradualmente ao longo dos próximos dois a três dias. Podendo parar de defecar durante um ou dois dias, incluindo fezes moles ou de formato irregular.

Observar se o coelho está agindo de forma muito desconfortável, letárgico, não está comendo, ou não quer se movimentar. Nestes casos é preciso entrar em contato com o seu medico veterinário imediatamente.

Em geral serão receitados medicamentos para dor que irá contribuir para minimizar o desconforto da cirurgia. Normalmente não é necessário utilizar um antibiótico após uma castração. Principalmente se a mesma é realizada com materiais estéreis e procedimentos cirúrgicos adequados. Mas pode ser prescrita se o animal apresentar outros problemas ou se houver complicações no momento da cirurgia.

Ao longo dos anos, após inúmeras cirurgias realizadas, verificamos que a grande maioria dos coelhos volta ao normal dentro de cinco a sete dias, que é um período muito curto de recuperação.

Em longo prazo, os benefícios da castração superam em muitos aspectos o pequeno desconforto após o procedimento cirúrgico.


André Grespan

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>