10 DICAS - ENSINAR SEU “PAPAGAIO” A FALAR

Loro quer café?


Muitas pessoas acabam adotando um “papagaio” como animal de estimação porque esperam ter uma interação verbal (e divertida diga-se de passagem) com essas criaturas únicas e inteligentes. A percepção dos humanos em relação ao comportamento verbal dos psitacídeos pode variar, desde a aqueles que apreciam e se divertem com algumas imitações até aquelas pessoas que acreditam que podem manter “conversas” com seus animais de estimação.


Mas afinal, se você quer um “papagaio” que fala, o que você pode fazer para ajudar nesse tipo de comportamento?


Macho ou fêmea?


Não há diferença cientificamente comprovada de que os machos “falam” mais que as fêmeas e vice e versa. Ou seja, não importa o sexo, ambos possuem a mesma capacidade de imitar sons e palavras.


1. A espécie da ave


Teoricamente, todas as espécies de “papagaios” (psitacídeos) são capazes de aprender a imitar sons e a fala humana, mas algumas são menos capazes de “falar” do que outras. Os papagaios do congo, papagaios verdadeiro, cacatuas e arara são, talvez, os mais conhecidos falantes, mas mesmo os pequenos psitacídeos, como periquitos, calopsitas e jandaias podem ser treinados para “falar” e imitar sons.


Importante frisar que todas as espécies de psitacídeos são inteligentes e podem aprender a “falar” palavras reconhecíveis, frases e até cantar. Mas se sua ave não “fala”, não se preocupe, isso não é sinal de menor inteligência, mas talvez que “falar” e imitar sons não seja a praia dela.

Se a sua prioridade é ter um “papagaio” que fale, é melhor ficar com uma das espécies mais conhecidas pela capacidade de falar.


2. Comece pelo mais simples


Independentemente da espécie de ave que você está treinando, é melhor começar com uma ou duas palavras simples, como “olá”, “tchau” ou “bom dia”. Uma vez que a ave domine esta palavra, você pode adicionar outras, formando até frases.


É assim que muitos psitacídeos aprendem músicas inteiras - adicionando um pouco de cada vez.


3. Repita várias e várias vezes, mas não como um robô!


É fato que estas aves acabam aprendendo sons e palavras após ouvi-los repetidas vezes, então esteja preparado para repetir uma palavra muitas vezes antes que a sua ave aprenda. Há a necessidade de ouvir os sons e palavras, repetidas vezes, antes de realmente começarem a imitá-los em voz alta.


Isso é particularmente comum em papagaios do congo (reconhecidos por sua habilidade natural de imitar sons e palavras), mas que geralmente só começam a “falar” depois de um ano de idade. Portanto, não fique desapontado se ave não começar a repetir e imitar sons imediatamente.


Outro ponto, o mais importante a meu ver, os sons e palavras devem vir acompanhados por gestos e atitudes. As aves fazem correlações com muito mais facilidade entre os sons e atitudes e acontecimentos. Por exemplo, o ato de descobrir a gaiola e falar “bom dia” pela manhã ou cantar músicas da Xuxa e ao mesmo tempo sorrir, bater palma e dançar. Há uma facilidade maior no aprendizado associando gestos/movimentos aos “sons, palavras ou frases”.


É divertido perceber que muitos psitacídeos aprendem a imitar alguns sons do ambiente, como por exemplo, imitar o interfone ou campainha só pelo “prazer” de ver seu tutor distraído caminhar até a porta e não atender ninguém ou atender ao telefone....


4. Fale claramente


Os psitacídeos aprendem melhor quando as palavras que ouvem são enunciadas claramente cada vez que as ouvem. É fundamental que o professor (tutor) não murmure suas palavras, mas que se dirija ao pássaro e fale as mesmas palavras no mesmo tom todas as vezes. Usar o mesmo tom significa usar a mesma inflexão para uma palavra toda vez que você vai dizê-la. Outra dica é enfatizar as mesmas sílabas dentro de uma palavra, da mesma maneira, toda vez.


Os psitacídeos parecem aprender mais rapidamente quando uma palavra é repetida para eles em um tom alto e entusiasmado.


5. Recompensa Frequentemente


A melhor maneira de incentivar um psitacídeo a aprender uma palavra/som é aplicar os princípios do “reforço positivo”. Inicialmente, toda vez que você disser a nova palavra a ave, dê a ela um pequeno “BRINDE”, algo que vai “ganhar” apenas durante o treinamento.


Utilize alguns alimentos, como uma fatia de amêndoa, semente de girassol ou parte de uma uva, funcionam bem, dependendo das preferências de sua ave. A chave é encontrar o que seu pássaro ama mais e oferecer este item APENAS DURANTE O TREINAMENTO. A ave deve ser recompensada imediatamente após realizar a tarefa desejada.


Inicialmente, ofereça o “brinde” toda vez que a ave ouvir a palavra. Com o passar do tempo a ave vai perceber que recebe o “brinde” após ouvir a palavra, neste momento, espere até que a ave olhe diretamente para você após ouvir a palavra antes de oferecer a recompensa.


Eventualmente, espere até que o pássaro comece a repetir a palavra antes de ganhar a recompensa, mesmo que o “som” que ele faça seja apenas parte da palavra. A partir do momento que a ave comece a repetir a palavra com regularidade espere para dar a recompensa até que a tentativa se aproxime mais do correto.


6. Seja Paciente


Assim como pessoas aprendem em ritmos diferentes, o mesmo acontece com as aves. Alguns são capazes de dominar dezenas de palavras em apenas alguns meses, enquanto outros podem aprender apenas uma ou duas. Em parte, a velocidade do aprendizado vai depender da empolgação e da frequência das aulas.


No entanto, algumas aves simplesmente não aprendem certos “sons”, não importa quantas vezes você tente ensiná-los. Vá devagar, seja paciente, estabeleça expectativas razoáveis ​​e comece cedo. Embora a maioria dos psitacídeos levam dias a semanas para começarem a repetir, eles ainda estão absorvendo e processando o que você está dizendo. Então, quanto mais cedo você começar a falar com eles, mais cedo eles vão começar a falar de volta para você.


7. Faça pausas


As aves aprendem através do mimetismo e você precisará repetir uma palavra e segui-lo com um agrado, repetidamente, para ensinar seu papagaio novo vocabulário. No entanto, é melhor não fazer muitas repetições em uma sessão de treinamento. Cinco ou seis repetições de palavras, acompanhada de um gesto e seguida por uma pequena guloseima. Mais do que isso pode ser cansativo ou frustrante demais para um papagaio, e ele pode perder o interesse em treinamento.


8. Não pressione


Assim como as pessoas têm dias bons e dias ruins quando se trata de aprender, o mesmo acontece com as aves. Alguns dias, sua ave podem estar muito cansada ou distraída para se concentrar. Ao perceber que sua ave perdeu o interesse a qualquer momento, faça uma pausa e tente novamente em outro dia. Não fique frustrado, afinal todos nós temos dias bons e ruins e nossos “papagaios” também.


Nunca force demais, o animal pode se recusar a fazer aulas em uma próxima.


9. Aceitar Limites


Há aves que vão “pegar” uma palavra nova rapidinho, quase que imediatamente, enquanto outras vao levar mais tempo (isso é individual). É obvio que algumas aves podem nunca dizer uma palavra tão claramente quanto um humano. A chave do treinamento é no início recompensar a ave imediatamente logo após ela fizer qualquer tentativa, e, após um tempo, exigir um pouco mais para tentar fazer com que a ave diga a palavra completamente.


Aceite que nem todas as aves podem ser ensinadas a “falar”, no entanto, muitas farão certos “sons” em resposta aos comportamentos humanos, como tentar dizer “tchau” ou “oi” toda vez que a porta se abrir. Entenda que a versão da ave de "tchau" pode ser apenas um chiado ou um som indefinido ao invés da palavra real.


A linguagem e comunicação para cada ave é diferente. Aprecie os esforços da sua ave, agrade sempre e interaja sempre, mesmo que ela não seja perfeita.


10. Amor Independentemente


Repetir “palavras/sons” é apenas uma das muitas coisas que um psitacídeo oferece como animal de estimação. Alguns “papagaios” nunca vão “falar” bem, mas podem ser ensinados a realizar truques incríveis ou serem animais muito carinhosos. Os psitacídeos são animais de estimação fantásticos por tantas razões diferentes.


Se você quer um “papagaio falante”, adote espécies apropriadas e esteja disposto a dedicar um tempo para ensiná-lo e treiná-lo. Mas se os esforços de seu “papagaio-prodígio” acabarem soando mais como “grunhidos” e “engasgos” do que com “palavras”, lembre-se de ainda o apreciar por todas as outras razões pelas quais os “papagaios” são ótimos companheiros.


Gostou? Se inscreva para receber notificação de novos posts!

Curta, comente e aproveite para deixar sua sugestão para um novo tema!

Sua opinião é muito importante para manter o BLOG atualizado. :)

Posts Recentes